25ª edição do SICC termina com vendas em alta e expectativas superadas

Considerada um termômetro do mercado, feira sinaliza recuperação do setor para o segundo semestre

Foram três dias de corredores lotados e vendas em alta. A 25ª edição do SICC - Salão Internacional do Couro e do Calçado colocou a roda da economia para girar, com a sinalização para o mercado de que o segundo semestre desse ano pode e deve ser melhor. Expositores e lojistas comemoraram os bons resultados, e acreditam em mais pedidos nos próximos dias motivados pelos contatos realizados nessa semana. A feira sediada em Gramado (RS) já tem data marcada para o ano que vem. Os pavilhões do Serra Park reabrem para o evento nos dias 22, 23 e 24 de maio de 2017.

Considerada uma feira histórica, por marcar a realização de 25 edições do SICC, o evento superou dificuldades para se consolidar ao longo dos anos. Para o diretor da Merkator Feiras e Eventos, promotora da feira, Frederico Pletsch, o SICC atingiu um ponto de maturidade. “Fomos crescendo a cada ano. Hoje nos perguntamos se devemos seguir crescendo. Acredito que agora vamos apenas ir qualificando ainda mais a feira, atraindo cada vez mais os grandes compradores do varejo, e seguindo com a receita de oferecer opções variadas de expositores que representam as marcas e produtos que são objetos de desejo dos consumidores. Não sei se somos a maior ou a melhor feira do país, mas somos uma das mais importantes da América Latina”, reforça o organizador.

Esta edição também foi marcada por vendas de entrega rápida. Ao mesmo tempo que apresentou ao mercado as coleções de primavera e verão, mostrando o que será moda no Brasil na estação quente e fechando os primeiros pedidos dessas coleções, o SICC ainda foi responsável pela comercialização de produtos de inverno para lojistas que já estavam com os estoques em baixa. “Há pelos menos três edições isso tem acontecido. Nesse ano, com o frio chegando cedo inclusive na região Sudeste do país, o lojista precisou repor estoques imediatamente e veio à feira para comprar também produtos de inverno. Esse duplo movimento reforça a importância da feira como lançadora de moda e lugar de fechamento de pedidos e parcerias”, reforça Pletsch.

Gerente comercial da West Coast, Felipe Cruz afirma que os resultados dos dois primeiros dias da feira já superaram as vendas da edição do ano passado. “Tivemos um primeiro dia intenso, com muitos pedidos e um segundo dia positivo. Fizemos negócios acima do ano passado e conseguimos perceber que os clientes estão mais otimistas, mais dispostos a comprar. Além disso nossa coleção foi muito bem recebida, o que mostra que estamos no caminho certo”, diz. Os resultados positivos são compartilhados com a WS Acessórios. “Foi a melhor edição da feira que já participamos, e estamos vindo nos últimos anos. A feira superou as nossas projeções de vendas”, ressalta Juliano Rezini, do Comercial da fabricante.

IMPORTADORES -  A 25ª edição do SICC também foi marcada pela presença de compradores internacionais. Atraídos pelo dólar em alta e por produtos de alta qualidade, eles fecharam bons pedidos na feira. “O evento tem melhorado a cada ano, eu venho para cá nas últimas 20 edições. O calçado brasileiro já é uma referência para nós, e estamos saindo daqui com pedidos para 20 mil pares”, afirma o costa-riquenho Diego Rodriguez. Tony Makhija levará para os Emirabes Árabes Unidos calçados dos mais diversos tipos, mas com foco especial nos femininos. “O produto daqui já adquiriu um status importante nos Emirados. Colocamos o ‘made in Brazil’ em placas no ponto de venda, porque as consumidoras procuram as marcas daqui, que são referência em conforto e qualidade”, lembra o importador.